Está um lindo dia, apesar de tudo. Voltou o calor. Hoje Fernandinho faria anos (Lisboa, 13 de Junho de 1888) e outro Santo, chamado António, espalharia manjericos pela cidade, realizando matches perfeitos ou improváveis, ou melhor ainda, ambas as coisas duma só vez.
Tenho o computador ao colo. A cabeça do meu filho a espreitar-me por cima do ombro. Estou prestes a carregar no botãozinho mágico para encomendar dois …
Madalena Galamba
Cheguei tarde à igreja e bati com o nariz na porta. Ainda espreitei pelo buraco da fechadura, e do outro lado Nada. Uns trastes disformes ali dispostos…
Madalena Galamba
Acordei relativamente cedo depois de uma noite descansada. Preparei um belo brunch burguês para os meus filhos, com panquecas com mirtilos (o meu pai d…
Madalena Galamba
Uma das coisas que se ganha mal se chega ao Alentejo é uma data de vizinhos. É automático. Não é preciso fazer nada. Não tocam à porta. Não vivem no 5º…
Madalena Galamba
Tenho as mãos a cheirar a limão e a alecrim, pus o borrego a marinar. Antes, no mercado. O alecrim viaja até às minhas narinas, perfura a máscara, ah g…
Madalena Galamba
Uma coisa que me deu que pensar As perguntas que me suscitou a leitura do texto da Isabel Lucas, no Ípsilon da semana passada, sobre tradução e lugar d…
Madalena Galamba
Chegou a Primavera. Queria que este fosse um texto luminoso, mas também explosivo como aquele vulcão na Islândia ou as glicínias em arco na casa da min…
Madalena Galamba
See all